top of page

Qual a influência dos símbolos na minha vida?



Você sabe por que se identifica com alguns personagens das histórias que ouve ou lê? Super Heróis e Heroínas? Bruxas e Mágicos? Reis e Rainhas? Ou aventureiros?


Eu gostaria de propor uma questão:

_Qual ou quais personagens você gostaria de ser, ou se identifica muito a ponto de colecionar bonecos, figuras, fantasias, desenhos...?


No meu trabalho, eu utilizo a arte livre e conhecimentos da Psicologia Analítica e das Terapias Holísticas como ferramentas de autodescobrimento. O objetivo é estimular bem estar e equilíbrio emocional com uma investigação profunda na consciência que vai proporcionar o autoconhecimento.


O autoconhecimento é o primeiro passo para nos entendermos como seres vivos criadores e emotivos. Pelo entendimento de nós mesmos podemos fazer escolhas de forma mais fácil e mudar o que não gostamos, alcançando assim uma vida mais plena e harmoniosa.


No processo arteterapêutico utilizamos os contos como estímulos geradores de criatividade.

A psique humana se comunica através de símbolos. Os símbolos estão nos sonhos e nas muitas formas de expressão artística e cultural. Eles são também a matéria prima dos contos. Existe um caminho de mão dupla entre o que consideramos o mundo real, o consciente, e o lugar onde estão armazenados os sonhos e as formas simbólicas próprias de cada um, o inconsciente.


Quando utilizamos contos como estímulos criativos no setting arteterapêutico, acontece uma leitura interna, uma identificação feita pelo inconsciente, ou seja, inconscientemente identificamos símbolos na estória e fazemos associações com os nossos símbolos próprios.


Esse reconhecimento dos nossos símbolos pode acontecer com o uso de contos, histórias, poesias e etc, e ainda podem estar inseridos na música, no teatro, no cinema ou em qualquer veículo de divulgação literária. Se reconhecermos é por que conhecemos, então esses símbolos são nossos também. Essas associações nos ajudam a organizar a nossa mente sobre o que é nosso e o que não é nosso, promovendo o autoconhecimento.


Acontece uma conversa interna, a Função Transcendente da Psique, que nos permite aumentar nossas percepções sobre nossos pensamentos, emoções e atitudes. Aprendemos a ouvir nossos pensamentos e observar nossos sentimentos e conquistamos autonomia para fazer escolhas. Carl Gustav Jung, o pai da Psicologia Analítica, chamou essa trajetória de Processo de Individuação, eu gosto de chamar de Caminho da Mestria Consciencial.


No ateliê temos uma atividade expressiva que utiliza fantasias, tecidos e adereços para uma sessão de fotos ou um desfile de fantasias. Após ouvir um conto, os participantes escolhem um ou mais personagens do conto, ou como gostarem, criam fantasias e vestem-se sempre de forma livre, como toda atividade expressiva na Arteterapia precisa ser.


As fantasias criadas normalmente mostram os conteúdos internos, os símbolos e desejos escondidos. Nossa verdade interior surge nos personagens que criamos. Quando nos vemos fotografados com fantasias, percebemos de forma mais direta como é a nossa personalidade, nossos gostos, nossas emoções. Percebemos aquilo que temos em nós e não sabemos ainda. E mesmo que não identifiquemos nossas qualidades e defeitos, internamente existe uma compensação de ideias que nos faz mais equilibrados. Isso acontece por causa da função compensatória da psique.


Jung diz que a psique humana é uma totalidade e que vivemos a realidade com uma parte dela e que a outra parte, muito maior do que a que percebemos, contém muitas informações sobre nós e se manifesta o tempo todo na nossa vida, mesmo que não saibamos disso. Assim, os personagens que surgem são as nossas personas ocultas, nossos desejos reprimidos no inconsciente. Aqueles que escondemos com as máscaras do dia a dia.


Personagem é uma palavra de origem francesa, personnage, que significa personalidade, caráter. Na Psicologia Junguiana, Persona é uma roupagem do ego que atribui a ela a função de mostrar aos outros como desejamos ser vistos. A Persona mostra ou esconde qualidades e traços considerados desejáveis e mais adequados, de acordo com as necessidades de segurança, de afeto, de adaptabilidade em diferentes locais de atuação na sociedade. Esses traços e qualidades que não são mostrados pela Persona são guardados na Sombra, uma parte do nosso inconsciente.

O personagem que você escolhe fala diretamente com você, pois o inconsciente quer se comunicar com você o tempo todo. Então vale a pena observar melhor os personagens que você escolheu, as suas características, seus gostos e suas atitudes principalmente, considerando que o resultado dessa observação leva ao autoconhecimento que é a chave para abrirmos as portas do desenvolvimento pessoal e vivermos a vida em plenitude como todos merecemos.

Na palestra que aconteceu durante o evento Noite da Leitura – Sarau Lítero Carnavalesco, realizado em 06 de fevereiro de 2020, na Bibliomaison, no Rio de Janeiro, apresentei um resumo de como os símbolos influenciam na forma de ver, pensar e agir do ser humano e como a leitura de contos e o uso de fantasias podem revelar traços de personalidade no ateliê arteterapêutico facilitando o autodescobrimento.


A palestra é baseada no livro CONTOS, FANTASIAS E ARTETERAPIA que disponibilizo aqui na loja PAZAA.



Assista a palestra aqui.



Você também pode assistir a palestra na Área de Estudo , aqui no site ;)


Gostou?

Deixe um comentário :)


EU SOU MIRIAM MIRANDA

Diretora da PAZAA Espaço de Criar

Artista Visual e Arteterapeuta Holística Multidimensional

Credenciada Arteterapeuta 💳 AARJ 927/0219 e

Terapeuta Quântica 💳 CRTH-BR 10249 ABRATH

Atendimento On-line e Presencial - Grajaú, Rio de Janeiro, RJ.


Fique de olho nas novidades aqui no Blog :)

Gratidão!






Commentaires


"Tudo o que sei é que nada sei ".

Miriam Miranda Artista Visual, Arteterapeuta e Terapeuta Holística Multidimensional
Prepare-se para
sua ascensão!